Notícias gerais › 15/08/2018

Conferência Episcopal denuncia violência e repressão por parte do governo

Conferência Episcopal alerta: “estão sendo violadas as leis e o Estado de Direito está sendo atropelado, enquanto uma multidão de pessoas pede comida, medicamentos, eletricidade, transportes públicos, gás, salários decentes e menos inflação“.

A Conferência Episcopal da Venezuela (CEV) acusou o governo de Nicolas Maduro de querer estabelecer uma espiral de violência no país e promover “a quebra da justiça”, afirmando que estão sendo violadas as leis e que o Estado de Direito está sendo “atropelado”.

Repressão e violência
Em comunicado divulgado em meio a investigações e prisões relacionadas ao atentado contra Maduro em 4 de agosto, os bispos afirmam que tudo o que tem a ver com a justiça “está saindo do controle das leis” e se transformando em “perseguições e amedrontamento”.

Perseguir, submeter e processar arbitrariamente é o componente observado, enquanto uma multidão de pessoas pede comida, medicamentos, eletricidade, transportes públicos, gás, salários decentes e menos inflação”, alega a CEV, lamentando que aqueles que “se sentem empoderados estão usando violência repressiva”.

Defensores de direitos humanos sejam vigilantes
Na semana passada, a Comissão Justiça e Paz da Conferência Episcopal da Venezuela solicitou ao Governo Maduro que parasse com a repressão violenta contra os cidadãos e pediu aos grupos de defesa dos direitos humanos que estejam atentos contra possíveis violações.

Agora, a CEV exorta os órgãos de segurança do Estado a mudar de atitude e compreender que o país está atravessando um momento de grandes sacrifícios e sofrimentos, reiterando o pedido para que cesse a repressão.

Da mesma forma, os bispos venezuelanos convidam os cidadãos a não sucumbirem à esta realidade dolorosa e seguirem na busca pela verdade.

(Texto: Vatican News)

Fonte: CNBB

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.